Dicionário do pescador

Abaixo os termos mais utilizados pelos pescadores...
Arranque: linha amarrada à frente da linha principal de maior resistência e diâmetro
Argolado: quem termina a pescaria sem fisgar nada. É o mesmo que dizer
que o pescador é sapateiro
Baixamar: nível mínimo de uma maré vazante
Bater isca: arremessar as iscas nos pesqueiros

Bater fofo: no Rio Grande do Norte, quer dizer que o pescador não pegou
nenhum peixe na pescaria
Bateu na porta: quando o pescador consegue jogar a isca próximo ao lugar
onde o peixe está
Batida: investida do peixe à isca e/ou técnica usada para pesca de pacus
com longas varas de bambu e iscas-coquinhos
Blacklash: o mesmo que cabeleira
Backing: em inglês, linha reserva usada antes da linha de fly para peixes de
corridas longas, também ajuda a evitar memória na linha de mosca, comum
ser em algodão trançada, sem elasticidade
Baitcasting: termo em inglês usado para pesca de arremesso com carretilhas
Blade: em inglês, as lâminas usadas no spinner ou spinnerbait
Boquera: ocorre quando dois pescadores vão juntos à pescaria e um consegue pegar uma quantidade muito maior de peixes do que o outro
Bruto: Peixe raçudo, briguento
Bug: em inglês, isca de fly bem volumosa e flutuante
Carnívoro: peixe que se alimenta de carne, como sapos cobras ratos peixes e outros
Cabeleira: quando solta a linha em torno do carretel da carretilha
Calça branca: pescador iniciante, com pouca ou nenhuma experiência
Cangapé: no dicionário potiguar significa salto do peixe, pirueta que ele dá no ar
Cantar frição: é o barulho que o equipamento faz quando o peixe, depois de fisgado sai em disparada
Casting: termo em inglês que significa arremesso. Também dá a capacidade de arremesso de uma vara em gramas ou onças
Catibinha ou chamadinha: ato de fazer a isca chamar a atenção do peixe pelo barulho ou movimento brusco no lugar em que se está pescando
Chasquear: fisgar
Colher: iscas artificiais que possuem a forma de colheres sem o cabo (côncavas, convexas ou onduladas)
Corrico: tipo de pesca em que as iscas são soltas a uma certa distância do barco para em seguida serem puxadas. É usada bastante para cobrir grandes áreas.
Damsel: em inglês, moscas que imitam libélulas
Detonar: quando o pescador vai até um pesqueiro e tira todos os peixes
Dedo atolado ou enterrado: (estar com ou voltar com) também se refere ao fato de não pegar peixes. Exemplo: hoje ainda estou com o dedo atolado
Estouro: quando o peixe bate a isca na flor da água
Encaçapou: quando o pescador está com o peixe no passaguá (coador)
Encachorrar: Manter um peixe dentro d'água com intenção de fisgar o outro que acompanha o peixe fisgado
Embodocar: o mesmo que vara envergada
Encharutou a isca: costuma-se dizer quando o peixe põe toda a isca na boca
Equipamento ultra light: tralha muito leve
Equipamento light: tralha leve
Equipamento pesado: tralhas usadas para pegar grandes peixes de couro
Está ferrado: expressão usada quando o anzol engata na boca do peixe
Estofo: também conhecido como reponto de maré, ocorre entre marés, período em que não há qualquer alteração na altura e nível
Fajutar: quando o peixe vem atrás e desiste por alguma razão de abocanhar a isca
Ferrar: fisgar o peixe
Fervura: pequena ondulação na superfície da água causada pelo ataque de algum cardume a pequenos peixes
Floating: em inglês significa flutuar. Essa expressão é usada para linhas de fly ou iscas artificiais
Fluorcarbono: matéria prima mais resistente à abrasão com menor elasticidade e maior transparência. É muito usada para confecção de leader
Fly fishing: pesca em que as iscas são imitações de moscas
Forquilha: situação em que o peixe está fisgado
Frog: isca artificial de silicone ou plástico que pretendem imitar animais aquáticos, como rãs, sapos e pererecas, e até alguns mamíferos como ratos
Galhada: lugar com muitos galhos
Gaff: bicheiro em inglês
GPS: sigla de Global Position Sistem, aparelho eletrônico usado para facilitar a navegação por um sistema de posicionamento global feito por satélite
Grub: isca artificial macia e flexível de silicone ou borracha em forma de verme
Hackle: pena usada para montagem de moscas
Hair wing: moscas cujas asas são feitas de pelo
Half Hitch: nome de um nó
Hook: anzol, em inglês.
Hook Keeper: acessório usado para prender o anzol na vara
Interline: vara cuja linha passa por dentro do corpo da vara (blank). Não há passador.
Iscólatra: pescador viciado em iscas artificiais
IGFA: abreviação de International Game Fish Association. Associação que homologa os recordes do mundo inteiro.
Intermediate: classificação da linha de fly de densidade 1, igual ao da água.
Jarda: medida de comprimento. Uma jarda eqüivale a 0,9144 metro
Jumping jig: isca artificial de fundo em formato de pequenos peixes, fabricados em metais pesados como chumbo, aço e cobre
Jig: isca artificial de fundo montada com anzóis simples com cabeça de chumbo, como trailer. São feitas de materiais diversos e em vários formatos
João-pepino: apelido da isca importada jumpin´ minnow, rainha na pesca dos tucunarés. As de ação similar levam o mesmo nome
King salmon: espécie de salmão
Knot: nó em inglês
Linguiceiro: quem pesca com iscas naturais, vivas
Largo: diz dos pescadores que em um dia pegam muito mais peixes que seus companheiros
Libras (lb): sistema de medida usado para designar a resistência das varas e linhas
Lingue-lingue: pescaria feita com varas de bambu
Lombriga: peixe pequeno
Levantar: quando o pescador insiste com isca de superfície até o peixe aparecer
Mala: companheiro de pesca ou pescador chato e inconveniente
Malhar: cobrir o pesqueiro com inúmeros arremessos
Mamando a isca: costuma-se dizer quando o peixe dá pequenos toques na isca sem morde-la
Manhoso: quando o peixe está lento
Matreiro: esperto
Memória da linha: quando permanece por muito tempo no carretel, a linha tende a ficar torcida e enrolada. Então diz-se que ela está com memória
Mole: pega sutil na isca
Muvuco: local onde está o peixe (buraco no meio de galhadas)
Mosca: são todas as iscas artificiais fabricadas para o uso com equipamento de fly, atadas com materiais naturais ou sintéticos em torno do anzol simples, imitando insetos, larvas, vermes, pequenos peixes e animais
Mosca seca (dry): iscas flutuantes que imitam o estágio adulto do inseto
Mosqueiro: o mesmo que o pescador que pesca com fly
Minhoca: isca artificial que pretendem imitar minhocas e até répteis, fabricadas em silicone
Mucureiro: pescador que mata todos os peixes
Ninfas: iscas de fly que imitam o estágio aquático das larvas.
Net keeper: peça usada para prender o puça no colete
Needle knot: nó usado para prender o leader a linha de mosca e conhecido por nó da agulha
Onça (oz): sistema de medida usado para pesos das iscas ou designar a potência de arremesso.
Óculos Polarizado: óculos com lentes que recebem tratamento especial que ajuda a cortar o reflexo da água
Passaguá: coador
Pegadeira: momento de grande atividade de peixes atacando as iscas.
Peixe "entocado" ou "enrolado": esses termos são usados quando o peixe depois de fisgado procura algum lugar para se esconder e se proteger
Peixe boiando: fala-se quando o pescador consegue visualizar o peixe na superfície
Pesca de arremesso: típica de iscas artificiais. O pescador lança nos pontos promissores e recolhe dando movimento à isca
Pé frio: ruim de pesca
Pé quente: bom de pesca
Piscivoro: peixe que se alimenta exclusivamente de peixe
Passar o pano: usar o passaguá
Pinchar: arremessar
Pindocar: trabalho de fundo com jigs de vários tipos
Plug: isca artificial em formato de peixes, fabricada em materiais rígidos como madeira, acrílico, fibra e plásticos duros.
Preamar: nível máximo de uma maré cheia.
Poita: pescador preguiçoso, que não faz nada. Entra no barco e só se mexe para pescar
Quadrate: vara de fly feita com bambú de 4 lados
Quill: haste da pena de galo muito usada para montar o corpo de moscas secas
Rebojo: movimento do peixe na superfície
Refugou: Não quis pegar a isca
Rio na caixa: quando as águas do o rio estão no leito
Rig: termo em inglês para montagem de chicotes
Rodada: pescaria feita com o barco solto, sem estar apoitado
Sair sapateiro: é o mesmo que bater fofo. Sair da pescaria sem nenhum peixe
Sink tip: linha de fly em que apenas a ponta afunda e o restante flutua
Sinking: em inglês, afundar. Usada para linhas de fly ou iscas artificiais
Sizígia: maré de grande amplitude
Sonda: aparelho que ajuda a identificar estruturas debaixo d´água, o tipo de fundo e também mede a profundidade da água
Spincast: instrumento usado pelos iniciantes. Híbrido entre carretilha e molinete
Spinning: termo em inglês para molinete. Vale para designar pesca com molinete
Spinner: iscas artificiais dotada de lâminas que giram quando tracionadas, algumas possuem trailer, plumagens ou materiais sintéticos
Shad: isca artificial em formato de peixes fabricadas em materiais flexíveis e macios como silicone e borracha
Streamer-bucktail: são iscas que imitam pequenos peixes ou animais aquáticos. Os streamers são feitos com penas ou plumas e os bucktails com pêlos.
Strike: o mesmo que ferrada. Termo em inglês que designa alavanca ou movimento para capturar o peixe. Significa também pode ser o mecanismo usado nas carretilhas de pesca oceânica
Tá na foto: momento que o pescador consegue tirar o peixe da água
Teasing: isca ou aparato para atrair o peixe sem anzol ou garatéias
Tomando linha: os pescadores costumam gritar com emoção quando o peixe arranca a linha do carretel em corridas violentas
Trailer: chamariz adicionado ao anzol em iscas como o spinnerbait e o rubber jig
Trailer hook: anzol extra adicionado ao anzol spinnerbait
Tralha: todo material de pesca
Treble hook: garatéia em inglês
Trick: peixe pequeno
Tune up: nome em inglês usado ao ato de balancear a isca artificial fazendo alterações que modifiquem seu trabalho, por exemplo, mexer no pitão para alterar a direção de nado da isca
Turbinar: modificar a isca
Uni Knot: nó único
Underfur: sub pêlo
Upstream: pescaria realizada subindo o rio
Vest: coletes usados na pesca
Vise: morsa usada na montagem das iscas de fly
Wet fly: o mesmo que mosca molhada
Xaréu: espécie marinha muito procurada pelos pescadores
Yard: Jarda em inglês
Zara: modelo de isca americana feita pela Heddon que imita o "nado" de um réptil, um zig zag que lembra a letra Z. Todas as iscas semelhantes acabam sendo chamadas de zaras
Zóio de lula: quando um parceiro joga a isca em cima da sua na ação do peixe